Como lidar com crianças hiperativas

postado em: Dicas, Slide | 0

Elas correm, pulam, brincam, mechem em tudo e não param um só momento. Apesar dos pequenos de uma maneira geral apresentarem muita energia, as crianças hiperativas têm esse comportamento intensificado, desafiando pais e educadores a lidar com a situação. Muitos recorrem aos famosos puxões de orelha, mas o fato é que somente melhorias ligadas a diversos setores da vida ajudarão os baixinhos a enfrentarem esse transtorno.

Como saber se a criança é hiperativa?

As crianças com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade – TDAH apresentam comportamento ativo excessivo em relação a outras crianças. Além disso, ainda têm dificuldade em se manter concentradas, são impulsivas, inquietas e instáveis emocionalmente. Por esse motivo, costumam ter problemas de aprendizado na escola, falam demais, estão sempre pulando, correndo ou saltitando, se distraem com facilidade, não conseguem terminar as atividades que estão fazendo ou ficar muito tempo sentadas e agem descontroladamente. Especialistas relacionam causas genéticas, estilo de vida da mão durante a gravidez e problemas no parto com uma das causas mais comuns de hiperatividade.

Lidando com crianças hiperativas

Como as crianças hiperativas parecem não ouvir as ordens dos pais e professores, conviver com elas exige muita compreensão para relacionar esse comportamento a uma dificuldade e não a atitudes desafiadoras ou desobediente.

Os pais precisam repetir a mesma instrução a quantidade de vezes necessárias, sem perder a paciência. Valorizar pequenos acertos e conquistas das crianças também é uma forma de ajudá-las a ter autocontrole. Além disso, é importante sempre reservar um tempo para dar atenção e carinho ao pequeno.

Na escola, os educadores devem ajudar os hiperativos a prestar mais atenção às aulas. Entre outras dicas para isso, está reservar as primeiras carteiras para alunos com essas características. Quando tiver que repreender, estabeleça regras claras e objetivas e peça para a criança repeti-las, certificando-se de que ela aprendeu. Evite constrangê-la na frente dos outros coleguinhas.

Os professores, ainda, devem sempre anotar as principais observações sobre a criança e manter comunicação constante com os pais e orientador da escola, de modo que possam juntos encontrar o melhor método para ajudar o pequeno. Caso o seu comportamento e falta de atenção estejam atrapalhando o aprendizado e relação com colegas, será necessário procurar um especialista.

Deixe uma resposta